Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

do alto do meu castelo

Se não puder escrever sobre o que penso, sobre o que sinto, sobre a vida, sobre este mundo retorcido, cortem-me as mãos e, por via das dúvidas, cosam-me a boca. De outra forma, não vou calar-me! Só os loucos podem mudar o Mundo.

do alto do meu castelo

Se não puder escrever sobre o que penso, sobre o que sinto, sobre a vida, sobre este mundo retorcido, cortem-me as mãos e, por via das dúvidas, cosam-me a boca. De outra forma, não vou calar-me! Só os loucos podem mudar o Mundo.

O livro que mais ordena

Dei por mim a sentir falta daquelas noites, enquanto crescia, durante as férias, em que devorava dois livros quase sem perceber. Não sinto falta por na altura ser tudo tão fácil e não existirem grandes preocupações.

Sinto falta porque tinha tempo. O tempo dá-nos conhecimento. Dá-nos cultura. O tempo dá-nos muito mais do que conseguimos apreciar e, às vezes, perdemo-nos nele.

Sinto falta de perder-me no tempo de um livro. Respirar uma história, mergulhando nos cheiros e sentidos. Correr páginas ofegando pela intensidade da emoção, chegar ao fim e sentir a perda. Encher-me de um novo ensinamento, de uma nova descoberta. 

Cada livro é um segredo que revelamos. Conta muito mais do que uma história. O livro ensina a cada um, um pedaço da sua vida. E mais do que a descoberta, são páginas de auto-descoberta.

Sim, um livro é um segredo. Um segredo nosso, partilhado na initimidade de nós mesmos. Cada livro é uma história de quem o lê. 

 

Nas palavras de quem escreve, encontramos pedaços de quem somos. Decidimos quem queremos ser. Traçamos objectivos e definimos onde queremos chegar. Deixamo-nos inspirar.

 

As últimas linhas de uma última página, são o início de novas vidas. 

A leitura estimula os nossos desejos e as nossas vontades. A leitura estimula a necessidade, a ânsia, de querer saber mais, chegar mais longe, fazer mais. Ser mais!

Permite-nos crescer com a noção de que podemos ser gigantes num mundo cheio de pessoas-formigas.

 

Mais do que prevenir erros ortográficos, erros de concordância ou promover a fluência de discurso, é por tudo o que descrevi que os livros e as leituras devem fazer parte dos nossos dias.

O gosto pela leitura deve cultivar-se desde cedo, o mais cedo possível. E deve alimentar-se a vida inteira. 

 

Se não lermos, não conhecemos. Se não conhecermos, não procuramos. Se não procurarmos, não questionamos. Se não questionarmos, não sabemos. Se não soubermos, não somos.

E se não somos, não passamos de partículas de água e poeira inúteis que habitam o planeta.

 

Por todas estas razões, que são muito minhas, dei por mim a sentir falta das tais noites em que devorava dois livros.

É que quando nos tornamos adultos, falta-nos o tempo e esquecemo-nos de nós.

Esquecemo-nos d' Os cinco, da Agatha Christie, do Hitchcock, d'A Fada Oriana, d' O Principezinho d' A Lua de Joana, d' A viagem ao mundo da droga, de Tudo o que temos cá dentro, do Harry Potter, d' A casa do espíritos, d' A filha de Mistral, d' Os marginais... e tantos outros que, durante aqueles dias em que havia tempo, nos formaram e ensinaram a crescer.

7 comentários

Comentar post

O Castelo

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D